Buscar
  • Dra. Vanessa Santarosa

Perguntas e Respostas sobre a vitamina D



Ultimamente muito se tem falado sobre a vitamina D e sua importância. Estamos vivenciando uma verdadeira epidemia de deficiência dessa vitamina. Entenda o porquê ela é essencial para a sua saúde.

1-O que é a vitamina D?

Apesar de receber o nome vitamina, atualmente a vitamina D é considerada um hormônio pois além de sua principal fonte não ser alimentar e, sim através da biossíntese cutânea por meio de exposição da pele aos raios ultra-violeta, ela possui múltiplas funções no organismo.

2-Além da síntese cutânea, quais alimentos são ricos em vitamina D?

Nenhum alimento é fonte rica de vitamina D, porém podemos encontrá-la em pequena quantidade, não o suficiente para as necessidades do organismo, em alguns peixes como o salmão e atum e no óleo de fígado de bacalhau.

3- Quais os efeitos benéficos da vitamina D para o organismo?

A vitamina D tem papel fundamental no metabolismo ósseo, uma vez que a absorção intestinal de cálcio e fósforo depende de concentrações adequadas desse hormônio. Na situação de deficiência, o organismo mantém os níveis séricos de cálcio às custas de aumento da reabsorção óssea e a medida em que a deficiência de vitamina D se prolonga, instala-se a hipocalcemia com diminuição da mineralização óssea e osteomalácia.  Além disso, a deficiência de vitamina D eleva o hormônio paratireoideo (PTH), e este tem sido diretamente implicado em aterogênese via calcificação e remodelamento vascular, indução de hipertrofia ventricular, calcificação e fibrose cardíaca. Portanto, estudos sugerem que a deficiência de vitamina D associa-se a maior risco de doenças cardiovasculares. A vitamina D também tem evidências de melhorar a imunidade, tanto na primeira linha de defesa do organismo contra patógenos como na síntese de citocinas anti-inflamatórias diminuindo assim a autoimunidade e amenizando doenças como o lúpus, a esclerose múltipla, artrite reumatoide e o diabetes do tipo 1.

4-Existe alguma contra-indicação para usar a vitamina D? Ou algum malefício que ela possa causar?

Não, desde que reposta em doses adequadas a vitamina D não ocasiona nenhum malefício quando utilizada. Muito pelo contrário, os estudos mostram cada vez mais benefícios múltiplos quando em concentrações adequadas no sangue. Em algumas situações específicas como sarcoidose, tuberculose e alguns linfomas devemos repor com parcimônia para evitar a hipercalcemia.

5- Como posso avaliar meus níveis de vitamina D?

Através de uma coleta de sangue para dosagem da 25OH vitamina D, que é um precursor da vitamina D ativa, por representar um melhor indicador dos estoques desse hormônio.

6- Como sei que estou com deficiência da vitamina D?

Dificilmente a deficiência de vitamina D provoca sintomas para alertar o paciente. Portanto, é mais comum definirmos hipovitaminose D pela dosagem de suas concentrações sanguíneas. Concentrações da 25 OH vitamina D abaixo de 20 ng/ml são classificadas como deficiência, entre 20 e 29 ng/ml, como insuficiência e entre 30 a 100 ng/ml, como suficiência.

7- Como é feita a reposição de vitamina D?

A reposição de vitamina D pode ser feita através de comprimidos ou gotas, doses diárias ou semanais. No geral a dose recomendada de manutenção varia entre 7.000 a 14.000 unidades/semana. Em algumas situações específicas pode ser necessário doses de ataque ou de manutenção maiores como na obesidade, pacientes pós bariátricos, doenças de má absorção gastrointestinais, usuários crônicos de anticonvulsivantes e de glicocorticoides.

8- A vitamina D é benéfica na gestação?

Níveis séricos adequados de vitamina D na gestação correlacionam-se a menores índices de diabetes gestacional, pré-eclâmpsia e recém-nascido com baixo peso. Visto que nesse período recomenda-se evitar a exposição solar, frequentemente devemos repor a vitamina D em gestantes. A particularidade é que devemos repor preferencialmente doses diárias, ao invés de doses mais elevadas semanais.

9- Deficiência de vitamina D aumenta o risco de diabetes?

Diversos estudos tem demonstrado o benefício da vitamina D em reduzir o risco de diabetes. Crianças com deficiência de vitamina D apresentam risco de 2,5 maior de desenvolver o diabetes tipo 1 quando comparadas com crianças com níveis sanguíneos adequados  dessa vitamina.  Em um estudo denominado EURODIAB crianças suplementadas com vitamina D tiveram uma redução no risco de desenvolver diabetes em 33%. Outro estudo de análise de dose-resposta evidenciou que o risco de DM2 reduzia-se em 4% a cada incremento de 4 ng/ml na concentração de vitamina D. Existem fortes evidências de que a suplementação com vitamina D pode ser benéfica no metabolismo dos carboidratos e na redução do aparecimento do diabetes.

10- Existe relação entre deficiência de vitamina D e predisposição a tumores?

Embora ainda não exista uma relação causa-efeito, muitos estudos sugerem uma relação entre deficiência de vitamina D e desenvolvimento de alguns tumores como o de mama, próstata, pâncreas, esôfago, estômago, ovário, rim e colorretal. Estudos sugerem que a vitamina D ajuda na regulação da diferenciação celular, inibição de proliferação celular de células cancerígenas e promoção de efeitos anti-inflamatórios e antiangiogênicos.

Contato:

(11) 5081-2192 (11) 95628 - 5666 
Email: vansantarosa@yahoo.com.br

Endereço:

Rua Doutor Diogo de Faria, 775,
9º andar Conjunto 91Vila Clementino,
São Paulo-SP - CEP 04037-002

Horário de Funcionamento:

Segunda à Sexta das 08:00 às 20:00

Sábado das 8:00 às 12:00 
Exceto domingo e feriados

  • Grey Facebook Icon

Todos os direitos reservados Dra. Vanessa Aoki Santarosa Costa  CRM-SP 133.89 - Copyright © 2016

Clínica Médica RQE 38724 - Endocrinologia e Metabologia RQE  38725

Informe Legal : As informações contidas em nossa homepage têm caráter informativo e educacional.