top of page
  • Foto do escritorDra. Vanessa Santarosa

Diabetes gestacional e agora?


Diabetes gestacional, insulina

     O diagnóstico de diabetes gestacional é muitas vezes inesperado na gestação e é um problema que gera muita angústia e dúvidas na maioria das mulheres, a mãe frequentemente se sente culpada pelo diagnóstico. Diferentemente do que se imagina, não são os hábitos maternos que determina o diabetes gestacional e sim a predisposição genética associado ao estado de resistência insulínica da gestação mediado por diversos hormônios placentários. Uma vez dado o diagnóstico, aí sim é importante que a gestante, juntamente com seu médico, reveja os hábitos alimentares bem como a prática de atividade física durante a gestação como forma de tratamento e controle da doença.

Veja abaixo alguns pontos importantes sobre o acompanhamento do pré natal na situação do diabetes gestacional:


1. Você não está sozinha, procure seu médico endocrinologista. O controle e o manejo do diabetes deve ser conduzido por um médico especialista e experiente na área, uma vez que nessa condição, a gestação é considerada de alto risco.


2. Mude seus hábitos. Assim como todos os outros tipos de diabetes, dieta e atividade física são os pilares no tratamento do diabetes gestacional. O consumo controlado de calorias e carboidratos diminui os picos de glicemia e permite um ganho de peso saudável, já a prática de atividade física contribui para melhorar a resistência insulínica.


3. Monitoramento da glicemia. Durante a gestação a mulher precisa fazer o automonitoramento glicêmico, medindo as glicemias 4x/dia em média, jejum e 1 hora após cada refeição. As metas de bom controle glicêmico são:

  • jejum < 95mg/dl

  • 1 hora após a refeição < 140mg/dl


4. Controle seu peso. O ganho de peso ideal na gestação é calculado baseado no índice de massa corpórea (IMC) que a mulher apresentava antes da gestação. Mulheres com IMC normal (entre 18,5 e 24,9kg/m2) devem ganhar entre 11 e 16Kg ao longo da gestação, sendo o ganho maior no 2° e 3° trimestre, representado por 0,5Kg por semana. Já mulheres acima do peso ou com obesidade devem se policiar para ganhar entre 5 a 11Kg, e quanto maior o IMC, menor deveria ser o ganho de peso na gestação. Estima-se que desse peso ganho na gestação, 5Kg em média seja decorrente do peso do bebê, placenta e líquido amniótico, 4kg por expansão do volume sanguíneo, crescimento uterino e crescimento das mamas, e apenas 4Kg aproximado de tecido adiposo.


5. Exames de sangue. Durante o pré natal, o principal parâmetro para controle do diabetes gestacional são as medidas de dextro e não os exames de sangue. Porém em uma primeira consulta certamente o endocrinologista solicitará alguns exames para avaliação, como glicemia de jejum, Hba1c, insulina basal, função tireoidiana e função renal.


6. Consultas regulares com obstetra e endocrinologista. A frequência das consultas médicas dependerá de cada caso, mas como a gestação se caracteriza por mudanças rápidas e frequentes, ao menos 1 consulta mensal com endocrinologista deve ser realizada no pré natal.


7. Tratamento medicamentoso. Caso as medidas de glicemias pelo controle do dextro não fiquem no alvo, a medicação mais segura e liberada durante esse período é a insulina. As medicações via oral não são liberadas na gestação. A metformina é um sensibilizador da insulina e apesar de atravessar a barreira placentária, parece ser segura na gestação, sendo utilizada em muitos países sobretudo no terceiro trimestre da gestação, período em que o bebê já está formado. A insulina não causa qualquer problema para o bebê, as complicações advém das glicemias cronicamente elevadas.

O tratamento da hiperglicemia é imperativo na gestação pois se não tratado de forma adequada o descontrole do diabetes acarreta inúmeras complicações para a gestação e o bebê tais como aborto precoce, malformações fetais, pré-eclâmpsia, macrossomia, hipoglicemia neonatal, icterícia severa dentre outros.



Dra. Vanessa Aoki Santarosa Costa

Médica Endocrinologista formada pela Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo

Foi  médica colaboradora no Ambulatório de Diabetes Gestacional da UNIFESP

Atua em consultório médico particular na Vila Mariana, Zona Sul, São Paulo.

448 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page