Buscar
  • Dra. Vanessa Santarosa

Entenda o que é a síndrome dos ovários policísticos



A Síndrome dos ovários policísticos (SOP) é a doença hormonal mais prevalente em mulheres na idade fértil e uma das principais causas de infertilidade feminina. A SOP é caracterizada por um conjunto de sinais e sintomas que incluem irregularidade menstrual, hirsutismo (aumento da pilificação), acne, pele oleosa, obesidade, infertilidade e ovários com aspecto policístico ao ultrassom. Nem todo ovário policístico causa a síndrome, ovários policísticos é apenas um dos critérios para diagnosticar essa doença.

       A etiologia exata da SOP ainda não é completamente compreendida, porém sabe-se que a sinalização hipotálamo-hipófise-ovário está alterada. Na SOP o hormônio GnRH liberado pelo hipotálamo tem sua pulsatilidade de liberação aumentada, gerando um aumento também na pulsatilidade do hormônio LH produzido na hipófise, resultando em desbalanço hormonal entre a quantidade de hormônios ditos masculinos, como a testosterona e androstenediona por exemplo. Mulheres portadoras de SOP no geral apresentam quantidades elevadas desses hormônios e portanto, desenvolvem um fenótipo masculinizado com presença de calvície e pelos aumentados em diversas partes do corpo. Além disso, existe forte correlação da SOP com a obesidade e a resistência insulínica, predispondo essas pacientes a doenças metabólicas como o diabetes e a dislipidemia. Os principais sintomas da SOP são:

  • Ciclos menstruais irregulares, podendo levar até a ausência de menstruação (amenorreia)

  • Infertilidade

  • Excesso de pilificação em face e regiões do corpo hormônio dependente (buço, mento, coxas, linha do abdome, aréola das mamas, tórax e nádegas)

  • Acne

  • Pele e cabelo oleosos

  • Calvície

  • Obesidade

  • Acantose nigricans (pele escurecida em região de dobras – pescoço, axila, virilha)

          Os diagnósticos diferenciais da SOP incluem síndrome de Cushing, hiperprolactinemia, tireoidopatias e hiperplasia adrenal congênita. O diagnóstico exige pelo menos 2 dos 3 critérios: anovulação, representado por alteração do ciclo menstrual, hiperandrogenismo clínico ou laboratorial (excesso de hormônios masculinos com suas características clínicas) e presença de ovários policísticos. É necessário realizar exames hormonais e um ultrassom pélvico ou transvaginal para ajudar no diagnóstico.

          Não existe cura para essa doença, mas os tratamentos disponíveis são altamente eficazes no controle dos sintomas e nas consequências dessa doença. O tratamento da SOP de primeira escolha é a mudança de estilo de vida, com prática regular de atividade física e dieta balanceada e de baixa caloria para ajudar no controle do peso. Para as pacientes que estão acima do peso, emagrecer é uma etapa fundamental no tratamento. Muitas vezes, só essas mudanças descritas são suficientes para controlar os sintomas da SOP, como regular o ciclo menstrual e restaurar a fertilidade por exemplo. Além disso, existem medicações ditas off label para o tratamento da SOP, ou seja, medicações não específicas e sem indicação de bula mas que tratam de modo eficaz seus sintomas. É o caso das pílulas anticoncepcionais e da metformina. Os anticoncepcionais contém hormônios femininos que ajudam a regular o ciclo menstrual e a diminuir os hormônios masculinos, melhorando o excesso de pilificação, acne e oleosidade da pele. A metformina é um antidiabético oral muito usado no tratamento do diabetes e melhora substancialmente os sintomas da SOP, ajuda no controle do peso, controle metabólico para as pacientes com distúrbios no metabolismo dos carboidratos (glicemia de jejum alterada, intolerância a glicose, resistência insulínica ou diabetes) e regulação do ciclo menstrual. A primeira droga específica e direcionada para o tratamento da SOP está em estudo clínico num trial de fase 2b e foi anunciada pela Millendo Therapeutics em agosto de 2016. A medicação denominada MLE4901 é uma droga não hormonal que está sendo testada em mulheres com SOP e seu endpoint primário é a mudança nas concentrações basais do LH.

Contato:

(11) 5081-2192 (11) 95628 - 5666 
Email: vansantarosa@yahoo.com.br

Endereço:

Rua Doutor Diogo de Faria, 775,
9º andar Conjunto 91Vila Clementino,
São Paulo-SP - CEP 04037-002

Horário de Funcionamento:

Segunda à Sexta das 08:00 às 20:00

Sábado das 8:00 às 12:00 
Exceto domingo e feriados

  • Grey Facebook Icon

Todos os direitos reservados Dra. Vanessa Aoki Santarosa Costa  CRM-SP 133.89 - Copyright © 2016

Clínica Médica RQE 38724 - Endocrinologia e Metabologia RQE  38725

Informe Legal : As informações contidas em nossa homepage têm caráter informativo e educacional.